sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Papeando com Isabela Meirelles


O blog do Praça conversou com a atriz estreante no cinema, Isabela Meirelles, que interpreta Bel, a filha adolescente da família no filme. Isabela ganhou o nosso coração e carinho com a sua excelente atuação e com certeza ganhará o seu também. Confira a sua entrevista.

Blog do Praça: Como foi a experiência de estrear nos cinemas ao lado de atores consagrados como Chico Diaz e Maria Padilha?
Isabela Meirelles: Foi uma troca muito intensa e que me proporcionou um forte amadurecimento. Ambos são excelentes atores e generosos, com isso, fiquei muito disponível para aprender com eles e ouvir o que eles tinham pra me dizer. O melhor de uma experiência como essa é o crescimento que ela pode proporcionar e ao lado de pessoas com a bagagem que Chico e Maria têm, esse fator se multiplica.

BP: Assistindo o making of do Praça Saens Peña, ficamos sabendo que você foi fazer o teste resfriada e até com febre. Como foi receber a notícia de que você havia passado mesmo não se sentido em condições plenas naquele dia?

IM: Fiquei surpresa com a notícia. O primeiro contato é sempre enigmático, eu de fato nunca entendo bem o critério, acho inclusive que qualquer primeiro contato tem esse mistério. Mas já que eu havia sido selecionada para outro teste, passei então a levar mais a sério até porque estaria melhor de saúde. E ao entrar em contato com o roteiro, tive quase certeza que eu ia fazer o filme (de qualquer jeito). Eu devorei as páginas em trinta minutos e comecei a estudá-lo como se eu já fosse fazer. Acho que meu pensamento e minha dedicação posteriores foram tão fortes que contribuíram para a escolha do diretor de eu atuar em seu filme.

BP: No filme você interpreta uma personagem que vive os conflitos típicos da idade como o vestibular e ainda passa por um momento confuso na relação com os pais, quando enxerga que algo não vai bem no casamento deles. Até que ponto você acha que um filho pode interferir nessa relação?

IM: Acho que um filho é uma aliança muito forte para um casal, mas ao mesmo tempo não é ele que determina a situação de estarem juntos ou não. Se de alguma forma algo não ia bem entre eles, só caberia a eles perceber e transformar. No caso da Bel, sendo filha e única, o envolvimento com aquilo era inevitável. Havia um contato diário com os dois, ela já vivendo suas próprias questões. Além disso, relação entre mãe e filha é de uma sensibilidade bem aguda e facilmente se percebe uma diferença ou um conflito que uma e outra podem estar vivendo. Todo conflito parte de si, é pessoal, e acaba por se estender ao outro. Então, a Bel também fazia parte daqueles conflitos.

BP: Os jovens de hoje são chamados de geração canguru, pois demoram mais para sair da casa dos pais. Você acha que isso pode gerar uma relação mais aberta entre pais e filhos?

IM: O fato de os filhos demorarem mais ou menos para sair da casa dos pais tem motivos diversos. Pode ser por uma situação financeira, ou por preferir estar perto dos pais e achar mais cômodo. De alguma forma, viver com os pais por mais tempo pode ajudar ou atrapalhar a relação que se tem. Tudo depende de cada um e não só por viver mais junto ou não.

BP: Quais são os planos para 2010? Já tem novos projetos em vista?

IM: Meu plano é sempre viver o presente. Exercito-me a cada dia para encarar os próprios instantes com a carga de passado e futuro que eles têm. As realizações são posteriores ao processo, e processo sempre há, realizações sucedem. Meu plano é trabalhar e trabalhar. Dedicar-me a tudo que faço. No momento, ando escrevendo bastante e estudando artes. Ainda não sei o que está por vir.

Um comentário:

thatazinha disse...

Isabela Meirelles, é uma excelente atriz! Muito carismática e talentosa! Espero poder sempre vê-la atuando cada vez mais na tv,teatro e cinema!